Vamos criar um time?

Pessoal, hoje eu só quero apresentar uma ideia e fazer um convite pra vocês:

Vamos criar um time de desenvolvimento?

Veja algumas explicações nesse video que postei no YouTube.

Já aproveito a oportunidade e te peço para se inscrever no canal e acompanhar os próximos materiais, além é claro de compartilhar com seus amigos.

Até o próximo artigo!

Direto ao ponto – Instalando o Git no Windows

As vezes não queremos nenhum bate-papo ou informação adicional, o que precisamos é somente resolver um problema básico. Pensando nisso estou produzindo algum conteúdo simples, mas que vai direto ao ponto.

Hoje, vamos instalar o Git no Windows de forma a disponibilizá-lo no Command Prompt.

Tenho visto que é comum os desenvolvedores utilizarem o emulador Bash do Linux no Windows para usar o Git, isso se explica muito bem se levarmos em conta que o Git é feito especificamente para Unix; mas como ele é escrito seguindo o padrão POSIX foi possível a portabilidade do mesmo para outros sistemas, inclusive o Windows.

Porém as primeiras versões liberadas para Windows só rodavam com o emulador Bash, isso era um incômodo pra mim principalmente porque os binários disponíveis estavam sempre atrasados, ou seja, se a última versão do Git era a 2.2, os binários disponíveis para Windows eram da versão 1.8 por exemplo, e eu usava o Git mais atual no Linux, porém no Windows precisava usar uma versão anterior. Mas graças ao projeto http://git-for-windows.github.io, isso acabou, e a última versão para Windows está alinhada com a última versão real do Git.

Pois bem, mas mesmo assim, os programadores continuam usando o Git no Windows como se fosse no Unix, isso porque usam o emulador Bash ao invés do Command Prompt. Eu acho isso um desperdício porque, se você está usando o Windows (e aqui não tem nenhum paixonismo pelo Windows) faz sentido você usá-lo como se deve, até para que você possa tirar o máximo proveito do OS; aí quando você está usando o Linux também é razoável tirar o máximo proveito dele.

E como já falei de mais, segue o vídeo instalando o Git no Windows da forma como uso para meus trabalhos, e deixo essa recomendação para você.

Até o próximo conteúdo.

Detectando a versão do Python em scripts cmd no Windows

Fala aí!

Depois de um tempo, volto a escrever. E para hoje, uma dica rápida mas muito útil.

python-2-vs-python-31-780x350

Estava eu codificando em mais um pequeno projeto pessoal em Python, quando me surgiu a necessidade de criar um script wrapper onde eu precisava que o python estivesse instalado em uma versão específica.

Eu já sabia que o comando where do windows poderia ser usado para identificar se um determinado programa estava ou não disponível, com isso eu já podia avisar o usuário para instalar o Python caso não estivesse disponível.

Só que isso não me era suficiente, pois eu não precisava só saber se o Python estava instalado, mas se estava instalado na versão correta.

Como resolvi? Simples!

Usei o poder python -c para executar código inline diretamente pela linha de comando.

Você pode conferir como ficou o script final aqui.

E é isso aí, por hoje é só, espero ter ajudado!

gulp-dotnet5

Todos desenvolvedores .NET (estou falando dos de verdade) já estão cientes que temos agora o lançamento do .NET 5, também conhecido como .NET 2015. Várias novidades surgiram, Visual Studio 2015 Comunity, Visual Studio Code, .NET Core, ASP.NET 5, etc.

Uma das coisas mais legais que achei foi que a equipe do ASP.NET está recomendando o uso de várias tecnologias open source já estabelecidas no mercado, tipo Node, Grunt, Gulp, e etc.

Eu então comecei a testar o uso do Gulp em meus projetos ASP.NET, tem até esse tutorial na documentação oficial. É bastante legal e simples a utilização, e ao mesmo tempo bastante poderosa.

Só que pra mim existia um porém!

Quando você está criando um site que usa o Gulp para automatizar as tarefas básicas de transpiling de Less pra CSS, TypeScript pra JavaScript, JsHint, teste unitário JavaScript, etc., tá tranquilo. Porque você tem o Gulp dentro do seu projeto, e o VisualStudio ou DNU vai executar o Gulp como mais uma tarefa no seu fluxo padrão.

Só que, e se você estiver desenvolvendo algo como o próprio Framework ASP.NET MVC? Nesse projeto você tem vários componentes (observe o diretório src), além de exemplostestes unitários, build automatizado pra Windows e Unix, que são usados principalmente na integração contínua com ferramentas iguais ao Travis, AppVeyor. Além de uma série de outras características que são inerentes a grandes projetos da vida real que aplicam a portabilidade e automação como essência.

Pois bem, eu estou em um projeto com essas características, e percebi que o Gulp pode ser um grande aliado nessas tarefas, mas você precisa entendê-lo e usar de verdade, e não só como um brinquedo dentro do Visual Studio.

Aí eu foi a procura de plugins e formas de automatizar minhas tarefas. E o que aconteceu? Não encontrei. Na verdade encontrei algumas (gulp-dnx-tasks e gulp-dnx), só que não serviam pra o meu cenário. Até porque elas seguem a mesma linha do uso em um projeto básico.

Então como um bom e velho programador, o que eu fiz? Criei meu próprio plugin. E como não sou pão duro, estou disponibilizando pra comunidade no GitHub e já está registrado no NPM pra você simplesmente começar a utilizar.

Repositório no GitHub: https://github.com/e5r/gulp-dotnet5
Registro no NPMJS: https://www.npmjs.com/package/gulp-dotnet5

Talvez depois eu crie algum material mostrando como utilizo ele no meu dia a dia. Por enquanto fica o anúncio dessa ferramenta, quem sabe ela também seja útil pra você.

Na versão liberada agora, a 0.1.0, está implementado somente o utilitário DNU, mas ele já é suficiente para compilar, empacotar, publicar e fazer tudo o mais que o dnu faz na linha de comando. Porém ainda estarei implementando as ferramentas DNVM principalmente para deixar meus deploy’s mais autônomos, e em seguida implementar o DNX para auxiliar o dia a dia do desenvolvimento.

Bom é isso aí, utilizem como preferirem, e se puder, seu feedback é bem vindo também.

E se quiserem saber mais sobre os projetos que estou envolvido, e até mesmo se tiver a coragem de se envolver em projetos de verdade. Procure pela comunidade E5R Development Team no Google+ e solicite o convite, lá te conto mais. Por enquanto você pode conhecer algumas ideias no GitHub.